Isto é o que acontece com seu corpo dentro de uma hora após beber uma latinha de refrigerante

Padrão

Nota: Se alguém puder confirmar isso, este blog agradece.


10 minutos: 10 colheres de chá de açúcar atingem seu sistema, o que é 100% da sua recomendação diária de consumo. Você normalmente vomitaria, mas o ácido fosfórico corta o sabor.

20 minutos: Seu nível de açúcar no sangue sobe assustadoramente. Seu pâncreas tenta maximizar a produção de insulina para transformar os altos níveis de açúcar em gordura.

40 minutos: Assim que seu corpo termina de absorver a cafeína, suas pupilas dilatam, sua pressão sanguínea sobe, seu fígado bombeia mais açúcar na corrente sanguínea. Os receptores de adenosina no seu cérebro estão bloqueados, evitando que você perceba o quão cansado está realmente.

45 minutos: Seu corpo aumenta a produção de dopamina, proporcionando prazer e adicionando a dependência à bebida. Esta neuro-resposta física funciona da mesma maneira como se estivéssemos consumindo heroína.

60 minutos: O ácido fosfórico direciona o cálcio, magnésio e zinco ao seu intestino, o que acelera o seu metabolismo um pouco mais. Altas doses de açúcar e adoçantes artificiais compõem este efeito, aumentando a excreção urinária de cálcio. As propriedades diuréticas da cafeína entram em ação e você tem que IR imediatamente! Seu corpo elimina o cálcio, magnésio e zinco que deveriam ter ido para seus ossos. E você também vai eliminar sódio, eletrólitos e água. Seu corpo eliminou a água que havia no refrigerante. E no processo, ela acaba levando nutrientes e minerais que seu corpo teria utilizado para hidratar seu sistema ou construir células, ossos, dentes.

Seu corpo começa a quebrar o açúcar. Você pode ficar irritado ou sonolento. Você começa a se sentir acabado. Hora de tomar outro refrigerante?

A Igreja na Nigéria

Padrão

Email que recebi hoje da Christian Solidarity Worldwide (CSW):

Caro Sr Lima,
Esta semana, suas orações pela nação da Nigéria são desesperadamente necessárias.

No domingo, três ataques sucidas com bombas aconteceram em três igrejas em Kaduna. Este é o terceiro domingo consecutivo onde foram vistos ataques com armas ou bombas nas igrejas dos estados centrais e do Norte.

Cultos bombardeados em Kaduna
No último domingo, um homem-bomba direcionou um carro cheio de explosivos para a Igreja Boas Novas ECWA (ECWA Good News Church) em Zaria, destruindo a congregação de crianças e matando uma criança e um homem jovem. Muitas pessoas foram feridas, incluindo o coordenador de área da CSW Nigéria.

No mesmo dia, dois homens-bomba em carros separados atacaram a Igreja Católica Cristo Rei (Christ the King Catholic Church) enquanto a congregação estava saindo da missa, matanto dezesseis pessoas e ferindo muitas outras.

Enquanto isso, na Cidade de Kaduna, outra bomba explodiu na Igreja Pentecostal Shalom (Shalom Pentecostal Church) enquanto os introdutores estavam falando com o responsável, matando três pessoas.

Assim como no ataque do fim de semana anterior em Jos, os bombardeios geraram violência pois jovens irados tomaram as ruas para protestar contra a aparente impotência em evitar os bombardeios incessantes. Há, no momento, um toque de recolher de 24 horas, embora a situação ainda esteja muito tensa.
ECWA Wusasa_Children's Church.jpg

“Os fins de semana agora são um terror para cristãos no Norte e Centro da Nigéria”De acordo com nossos contatos e parceiros no local, sem oração urgente o futuro da Nigéria parece desesperadamente desolador.

Falando sobre sua angústia com os bombardeios frequentes, o Arcebispo Anglicano de Jos, Benjamin Kwashi, disse: “Os fins de semana agora são um terror para cristãos no Norte e Centro da Nigéria. Meu coração sangra de fato com essas mortes desnecessárias e eu estou profundamente entristecido por existir em uma nação como a Nigéria pessoas que patrocinam, planejam, treinam e ajudam outros a executar o mal direcionado especificamente contra a adoração a Deus nos domingos pelos cristãos nas igrejas.


O Chefe da CSW Nigéria nos disse, “Ataques a cristãos enquanto eles adoram legitimamente aos domingos agora são um acontecimento comum. A não ser que a cultura de impunidade seja vencida, nossa nação vai lentamente deslizando para outra guerra civil que seja travada por linhas religiosas.

Cristãos na Nigéria estão pedindo orações ao mundo inteiro para ajudar a por um fim nessa violência horrível. Nas palavras do Arcebispo, “Cristãos e pessoas de bom de todos os lugares precisam se levantar pela paz e se pronunciar contra a injustiça, buscando cada oportunidade de reconciliação e perdão para que a Nigéria seja restaurada. Eu clamo por orações concordadas através da Igreja no mundo inteiro para que aqueles que trabalham pela paz não enfraqueçam em suas boas obras.
Por favor, você poderia:
  • Encaminhar esse email e pontos de oração para todos que você conhece, pedindo a eles que orem e encorajem outros a fazer o mesmo?
  • Pedir ao líder de sua igreja ou coordenador de oração para incluir orações pela Nigéria nas reuniões de oração dessa semana e nos próximos cultos de domingo?
  • Todo sábado lembrar de orar pela segurança e proteção dos cultos de domingo no Norte e Centro da Nigéria?

Muito obrigado pelo seu apoio.
Deus te abençoe,
Equipe CSW

Pontos de oração – por favor, use esses pontos para guiar suas orações:
  • Orar por todos que perderam seus entes queridos em ataques de Boko Haram, pedindo a Deus que os conforte e sustente em Sua paz.
  • Orar pelo Coordenador da CSW Nigéria em Zaria que foi ferido em um dos ataques. Orar pela cura completa dele e de outros que foram feridos em outros ataques.
  • Pedir a Deus que se mova em poder para expor os planos, membros, fundadores e ajudadores de Boko Haram e trazer um fim a cada aspecto de violência propagado pelo grupo.
  • Orar pela proteção da equipe da CSW Nigéria enquanto buscam ajudar as vítimas da violência.
  • Pedir a Deus para conceder sabedoria, coragem e força aos líderes de igrejas enquanto buscam liderar e guiar suas congregações nesses momentos turbulentos.

Ao invés de dizer "Eu não tenho tempo", diga "Isso não é prioridade"

Padrão

Temos vidas ocupadas e usamos nosso tempo limitado como uma desculpa para a procrastinação e assim deixamos de concluir nossas tarefas, mas sempre dizer que não temos tempo é uma mentira. É uma mentira que dizemos aos outros e a nós mesmos. Isso nos ajuda a crer que nunca concluiremos nada, e isso é um problema. Felizmente, a solução pode ser simples como mudar seu jeito de falar. Laura Vanderkam, escritora do Wall Street Journal, explica:

Ao invés de dizer “Eu não tenho tempo”, tente dizer “isso não é uma prioridade”, e veja como soa. Em boa parte das vezes, será uma boa explicação. Eu não tenho tempo para passar minhas roupas, eu simplesmente não quero. Mas para outras coisas é mais difícil. Tente: “Eu não vou fazer o seu currículo, querida, porque não é uma prioridade”. “Eu não vou ao médico porque minha saúde não é uma prioridade”. Se essas frases não ficam bem, este é o ponto. Mudar a forma de dizer estas coisas nos faz lembrar que tempo é uma escolha. Se não gostamos da maneira como gastamos uma hora, podemos escolher outra maneira.

É uma ideia simples, e genial. Nosso linguajar é frequentemente usado para dar uma resposta agradável quando a verdade pode ser difícil de ouvir. Algumas vezes nos sujeitamos a um linguajar muito polido e acabamos em situações como esta. Como você usa o seu tempo é importante. É um recurso limitado e não deveria ser gasto sem consideração. Não arrisque colocá-lo em mau uso ao falhar em ser honesto consigo mesmo e com os outros a respeito de suas prioridades na vida. Altere seu modo de dizer as coisas e você logo vai descobrir o que é mais importante.

Traduzido de: http://lifehacker.com/5892948/instead-of-saying-i-dont-have-time-say-its-not-a-priority

Lamento é alimento…

Padrão

Lamentar acontece – Davi, Paulo, Jó, Jeremias, até Jesus lamentou.
Mas cabe a você decidir se sua espera vai ser um grande lamento ou um período emocionante em que cada respirar renova a grande expectativa ou ainda: quando cada passo à frente nos tira o fôlego, pois sabemos ver e nos alegrar com o progresso tanto nas coisas visíveis como nas invisíveis.
E talvez não de propósito – mas com certeza – a espera faz a distinção entre fracos e fortes. Ambos chegam no final.
Entre os que chegam cansados, há aqueles que precisaram combater para permanecerem vivos e outros que foram vítimas de suas próprias fraquezas, uma vez que não se prepararam para o que viria.
E há aqueles que mesmo depois da espera chegam descansados. Sim, existem aqueles que resolvem esperar refugiados e chegam ao final da espera como se nada lhes tivesse acontecido. Apenas um engano para quem pensa assim.

Entre eles, existem os das cavernas. Aqueles que tiveram medo e preferiram deixar o assunto de lado. “Melhor não me envolver: se acontecer, ótimo; se não, tudo bem”. Em geral, o tempo cuida de castigar a estes, porque ao final da espera perde-se a alegria e a vontade, ou ainda, a sensação de merecimento em usufruir do novo momento, afinal de contas, nem esperavam tanto assim que as coisas acontecessem e muito menos se envolveram. Nesse tempo cavernoso, se alimentaram de suas sombras, das sombras do que havia do outro lado, de suas lágrimas de solidão e medo, de suas lamúrias.

Mas há aqueles que procuram os Lugares Altos, de onde podem acompanhar seguros tudo o que ocorre. Esses não ignoram as situações, nada lhes passa desapercebido, inclusive o que lhes aflige. Mas quando entendem que sua força não é suficiente ou necessária para que o melhor lhes suceda – justamente por isso estão em espera -, entregam tudo nas mãos de Quem fará algo substancial, aprendem a confiar, a não tentar ajudar aquilo que está fora de alcance, descobrem o que significa ter Fé.
Para esses, o tempo também passa. Mas como participaram na espera, esperando com esperança, com confiança, eles aprendem como e quando se lida com os problemas da vida. Ficam mais inteligentes, refletem sobre como não cair no poço de novo, como repetir o êxito no momento oportuno.
Uma vez inseridos na nova realidade, sabem exatamente quem dos seus passou pela espera lutando, do que precisam – porque não foram alheios às mudanças – e estão renovados o suficiente para renová-los.

E ninguém se iluda achando injusto que uns lutem e outros desfrutem a espera.
Os que lutam, tem prazer na luta, no combate e no embate. Conhecem o propósito de lutar, sabem a força que têm, sabem Quem lhes renova e antecipam o final por sua confiança. E os que desfrutam a espera o fazem pelos mesmo motivos. Mas ambos sabem quando e por que lutar, e assim, ambos se envolvem, cada um na medida de sua confiança, de sua certeza, de sua Fé.

O mais terrível é saber que todos nós estamos, ao mesmo tempo, experimentando combate, espera confiante e medo. Em várias áreas da nossa vida, ou às vezes tudo no mesmo problema. Seremos mais conhecidos por qual de nossas facetas? Qual desses bichos será mais alimentado? Mesmo quando não decidimos, um deles fica maior. Fomos feitos assim, de decisão em decisão, de combate em combate, de espera em espera; alguns de medo em medo, outros de fé em fé, de glória em glória.

Quanto a mim, que o medo me preserve mas não seja do tamanho que me impeça de combater, de resistir, de confiar.
Nem ao menos admito medo de desagradar a Deus, medo de pecar, como alguns o fazem. Digo isso não por perfeição, mas por saber que há Quem me justifique, Quem me torne limpo outra vez e nisso saber que a transgressão de hoje não conhecerá o pôr-do-sol.
De fato, melhor será que não exista, mas se existir que venha para me tornar tão humano quanto qualquer um, apenas isso lhe concedo. E nem por isso vou alimentá-lo com meus lamentos.

Quando vier a mim, fará jejum, na alegria, será tentado por minha Fé, três vezes ou mais, mas sem anjos no final: estaremos ocupados… combatendo e festejando!

Hackers quebram a criptografia SSL utilizada por milhões de sites

Padrão

Dan Goodin, para o site The Register

Pesquisadores descobriram uma séria vulnerabilidade em praticamente todos os web sites protegidos pelo protocolo SSL, a qual permite aos invasores decriptar silenciosamente os dados que trafegam entre o servidor web e o navegador de um usuário.

A vulnerabilidade está nas versões 1.0 e versões anteriores do TLS, ou segurança da camada de transporte, o sucessor da tecnologia SSL que serve como fundamento da confiabilidade na Internet. Embora as versões 1.1 e 1.2 do TLS não sejam suscetíveis a este tipo de ataque, elas continuam quase totalmente não suportadas nos navegadores e sites atuais, tornando transações criptografadas no PayPal, GMail, e praticamente qualquer outro web site vulnerável ao eavesdropping por hackers capazes de controlar a conexão entre o usuário final e o site que visita.

Na conferência de segurança Ekoparty em Buenos Aires esta semana, os pesquisadores Thai Duong e Juliano Rizzo planejam demonstrar uma implementação prova de conceito chamada BEAST (besta, em português), que é a sigla para Browser Exploit Against SSL/TLS (Exploit Contra SSL/TLS para Navegadores). O silencioso código JavaScript funciona com um sniffer para decriptar cookies criptografados que o site alvo utiliza para conceder acesso a contas de usuário restritas. O exploit funciona mesmo contra sites que utilizam HSTS, ou HTTP Strict Transport Security, o qual impede certas páginas de serem carregadas a não ser que estejam protegidas por SSL.

A demonstração vai decriptar um cookie de autenticação utilizado para acessar uma conta PayPal, disse Duong.

Como um Cavalo de Tróia Criptográfico

O ataque é o último a expor sérias fraturas no sistema que praticamente todas as entidades online usam para proteger dados de serem interceptados em redes inseguras e para provar que seus websites são autênticos e não falsos. Ao longo dos últimos anos, Moxie Marlinspike e outros pesquisadores documentaram maneiras de obter certificados digitais que enganam o sistema ao validar sites que não são confiáveis.

No início deste mês, invasores obtiveram credenciais digitais para o Google.com e pelo menos uma dúzia de outros sites depois de quebrarem a segurança da infeliz autoridade de certificados DigiNotar. As ferramentas foram então utilizadas para espionar pessoas no Irã acessando servidores protegidos do GMail.
Em contraste, Duong e Rizzo dizem ter descoberto uma forma de derrubar o SSL, quebrando a criptografia utilizada para impedir que dados críticos sejam lidos por “grampos” em um endereço protegido pelo prefixo HTTPs.

“O BEAST é diferente da maioria dos ataques contra o HTTPS que já foram publicados”, escreveu Duong em um email. “Enquanto outros ataques são focados na propriedade de autenticidade do SSL, o BEAST ataca a confidencialidade do protocolo. Até onde sabemos, o BEAST implementa o primeiro ataque que realmente decripta solicitações HTTPS.”

Duong e Rizzo são os mesmos pesquisadores que liberaram uma ferramenta ano passado que expõe dados criptografados e executa código arbitrário em sites construídos em um certo framework de desenvolvimento amplamente utilizado. O “padding oracle criptográfico” utilizado naquele ataque não é um ponto em sua pesquisa atual.

Ao invés disso, o BEAST lida com o que é conhecido como ataque de recuperação de dados em texto, que explora uma vulnerabilidade no TLS que tem sido há muito tempo tida em geral como uma falha teórica.  Durante o processo de criptografia, o protocolo mistura bloco após bloco de dados utilizando o bloco criptografado anteriormente. Em teoria, sabe-se há muito tempo que invasores podem manipular o processo para fazer tentativas inteligentes sobre o conteúdo dos blocos de texto.

Se a tentativa do invasor for correta, o cipher do bloco vai receber a mesma entrada para o novo bloco, como se fosse para um bloco anterior, produzindo um bloco criptografado idêntico.

No momento, o BEAST precisa de mais ou menos dois segundos para decriptar cada byte de um cookie criptografado. Isto significa que cookies de autenticação com 1000 a 2000 caracteres levarão no mínimo meia hora para o ataque PayPal funcionar. Entretanto, a técnica tornou-se uma ameaça a milhões de websites que usam versões mais antigas do TLS, particularmente à luz da afirmação de Duong e Rizzo de que este tempo pode ser drasticamente reduzido.

Em um email enviado logo após este artigo ter sido publicado, Rizzo disse que refinamentos foram feitos nos últimos dias ao ponto de reduzir o tempo necessário para menos de 10 minutos.
“O BEAST é como um cavalo de Tróia criptográfico – um invasor insere um pouco de JavaScript no seu navegador, e o JavaScript colabora com um sniffer de rede para controlar sua conexão HTTPS”, Trevor Perrin, um pesquisador de segurança independente, escreveu em um email. “Se o ataque funciona rápida e amplamente como eles afirmam, é uma ameaça real”.

Artigo completo, em inglês aqui.

Onde a igreja se encaixa em tudo isso? via @iamsecond

Padrão

Tony Evans

A melhor maneira de entender a igreja é uma embaixada Americana. Os Estados Unidos tem embaixadas por todo o mundo e estão em território estrangeiro, mas são regidas pelas leis de seu próprio país. Todas as embaixadas são território soberano e não pertencem ao país onde estão: pertencem ao país de onde vieram.

A Igreja é a embaixada de Deus na história, refletindo os valores da eternidade em local terreno. A tarefa da Igreja não é meramente fornecer inspiração semana. É manifestar como Deus iria lidar com uma situação se Deus, Ele próprio, estivesse pessoalmente aqui lidando com isso, visto que somos Seu corpo. Logo, a questão não é “Eu gostei da pregação e gostei das músicas?”. Isso não é suficiente.

A questão é, “Como Deus está lidando com as feridas das pessoas? Como Ele está sendo uma mãe e um pai aos órfãos?” Ele está criando pais adotivos através do Seu povo. “Como Ele está lidando com o problema do pobre, como Ele lidando com o colapso da sociedade?” Ele está dando pais para aqueles que não os tem, como se fossem seus mentores.

Em outras palavras, o papel da Igreja é ser a expressão visível e física da atividade, do agir de Deus. Se tudo o que você pode ou quer ter é uma pregação e uma música, você pode ter isso pelo rádio ou pela televisão. O que você não pode ter é vida tocando vida e isso é o que o povo de Deus deveria e deve dar.

Extraído de I am Second (vídeo)